quinta-feira, 6 de dezembro de 2012



Enigma



Olhe fixamente em meus olhos flamejantes
sinta a chama lhe queimar a alma,
invadir seu corpo e destruir sua carne.
Pense na dor real,
no prazer carnal,
na luxúria desvairada.
Deite em meu corpo, possua minha carne,
deixe eu sentir seu prazer em mim
num gozo infernal infinito,
Seja o demônio que me seduz,
ou o anjo que me doutrina,
essa noite eu quero muito mais do que
ser sua menina,
quero ser sua fera enlouquecida,
sua amante ou sua cria.
Sendo assim sua eterna vampira.




Vampira Laysha.

2 comentários:

  1. No suor há perfumes exalados na noite rosicler. Enfim a luz marcou com os açoites que verteram o sangue da Eternidade!
    Seja Bem Vinda ao nosso Mundo Poético!
    Beijos, querida Amiga!

    ResponderExcluir
  2. Oi menina
    Forte e sensual seu poema. Amei.
    Bjux

    ResponderExcluir